Voluntárias do Muuvit Brasil (em parceria com a Brazilian Experience)

Postcard agjvqa9qctgs9h6u9lxls7djtiwoango6f1zmfwgcdro

Emmi Jelekainen,  26 anos, finlandesa, formada em Comunicação Intercultural pela University of Eastern Finland e na University of Jyväskylä concluiu o mestrado. Está no Brasil há dois meses e veio fazer estágio profissional. A Finlândia tem um programa chamado CIMO (Center for International Mobility – Centro de Mobilidade Internacional) para estudantes ou recém graduados viajarem e estagiarem em outros países.

Depoimento dela sobre o Muuvit e sobre o Brasil:

“Eu gosto do Brasil porque é bem diferente da Finlândia, a cultura, o clima, o lugar, os hábitos. É bom poder conhecer lugares diferentes e observar como diferem no trabalho, educação, etc. Para mim Curitiba é uma cidade muito grande, pois onde eu moro são 20 mil habitantes, não sei se conseguiria morar aqui por muito tempo. Minhas comidas favoritas aqui são banoffi, mamão papaya, goiaba, e gosto muito dos sucos naturais também.

Uma diferença que eu notei no trabalho em relação ao Brasil/Finlânida é que aqui existe menos cobrança, o que te deixa mais livre para ser criativo, com menos pressão. Isso pode ser bom ou ruim porque às vezes algumas pessoas funcionam melhor com prazos e burocracias.

Sobre meu trabalho no Muuvit, estou ajudando no evento de encerramento e realizando pesquisas sobre tecnologia e educação finlandesas, de certa forma sendo o link entre a Finlândia e o Muuvit Brasil.”

___________________________________________________________________

Birgitte Tiller, 26 anos, norueguesa, formada em Psicologia pela University of Tromso na Noruega e mestrado em Direitos Humanos pela University of Gothenburg na Suécia. Ela está no Brasil há três semanas e pretende ficar aqui mais seis meses. Veio para o Brasil para ter a experiência cultural e aprender um novo idioma, além de ter uma vivência mais prática sobre direitos humanos.

Depoimento dela sobre o Muuvit e sobre o Brasil:

“Em psicologia, eu aprendi mais sobre o indivíduo em si e a maneira como ele interage com a sociedade.  No mestrado em Direitos humanos, eu pude observar como a maneira ocidental de ver os conflitos é falha ou limitada, percebi como existem realidades e problemas diferentes entre países, pessoas, culturas e como as soluções diferem também. Com o Muuvit, eu posso usar meus conhecimentos nas duas áreas, pois para mim a educação é um direito primordial, além disso o Muuvit estimula a saúde. Todas essas questões são muito importantes para o futuro das crianças: aprender desde cedo a fazer boas escolhas e manter uma boa saúde. Com certeza, o Muuvit trará um bom impacto nas futuras gerações. Meu trabalho é relacionado à pagina virtual, cultura de paz (usarei muito de psicologia e direitos humanos) e auxiliar na construção de novas cidades e aventuras.”